O valor do outsourcing

O valor do outsourcing




O valor do outsourcing

Tendência dominante no século 21, o mercado de outsourcing de tecnologia da informação (TI) tem crescido de forma contínua nos últimos anos no Brasil e no mundo. Prova disso é o fato de o mercado mundial de outsourcing de tecnologia da informação ter alcançado o total de US$ 246,6 bilhões em 2011, um volume 7,8% superior ao faturamento de 2010, segundo pesquisa do grupo Gartner.

Há muitas razões que explicam esse crescimento do outsourcing, pois as corporações modernas preferem contratar com outras empresas parcelas crescentes de suas atividades-meio, em especial em TI, para melhor concentrar seus esforços em atividades-fim, aquelas ligadas diretamente ao núcleo do negócio (core business), como planejamento ou marketing.

Mas o que é outsourcing? Em sentido amplo é a contratação de serviços, mão de obra ou de recursos tecnológicos de fontes externas ou de terceiros para exercer funções relevantes ou essenciais numa determinada empresa.

O conceito atual de outsourcing vai muito além da simples terceirização de serviços, por envolver a utilização estratégica de recursos externos, com o objetivo de aumentar a produtividade, ganhar mais agilidade e elevar a competitividade.

Outsourcing de TI. Tentar fazer tudo dentro da corporação nem sempre é uma boa filosofia, pois há atividades que requerem muito mais especialização e elevado investimento. Esse é, em especial, o caso de tecnologia da informação, cujos recursos devem ser vistos, acima de tudo, como ferramenta para a maioria das empresas.

Na realidade, poucas empresas poderiam manter-se atualizadas, em TI, sem recorrer a fontes externas, quer quanto ao hardware ou quanto do software. Assim, considerando a rapidez da evolução tecnológica e sua crescente complexidade, as corporações usuárias não veem muito sentido em verticalizar seus recursos.

É por isso que a tecnologia da informação se transformou num dos serviços mais contratados de parceiros externos – se não for o campeão para as soluções de ITO (sigla em inglês de IT Outsourcing). Entre os mais conhecidos provedores dessa área estão empresas como IBM, HP, Intel, EMC, Oracle, SAP, Siemens, Fujitsu, Unisys, Microsoft, Tata Consulting, Totvs e Sun Microsystems.

No Brasil, conforme indica pesquisa recente do Gartner, 71% das empresas afirmam utilizar outsourcing de aplicações de tecnologia da informação, enquanto 49% delas esperam aumentar em 20% seu orçamento destinado a TI em 2013. Já a terceirização de processos de negócios só ocorre em 36% dessas empresas.

Para competir – Para ganhar competitividade numa economia cada dia mais globalizada, a maioria das empresas modernas se preocupa em conhecer os benefícios e o valor do outsourcing. Além disso, elas devem identificar os principais fornecedores, as mudanças de modelos de entrega efetiva (delivery) dos recursos e modelos alternativos mais adequados às suas necessidades. Ao optar por estratégias mais flexíveis de outsourcing, as empresas ganham muito mais agilidade no mercado e passam a enfrentar as mudanças conjunturais com maior segurança e possibilidades de êxito.

Para usufruir o máximo de benefícios de todo o universo de fornecedores externos, entretanto, é essencial que as empresas saibam identificar parceiros estratégicos de outsourcing, selecionar e gerir adequadamente esses fornecedores e, em algumas situações, ampliar o número e a diversidade de opções, com estratégias de multi-sourcing adequadas às suas necessidades de TI.

Origem – Sourcing, em inglês, significa basicamente aquisição, compra ou obtenção de insumos ou serviços em geral. A ideia implícita em outsourcing, portanto, é a de aquisição externa de recursos, como strategic sourcing. Nesse sentido, saber adquirir sempre teve grande importância estratégica tanto para indústrias como para empresas de serviços.

No cenário internacional, um bom exemplo de abertura de fronteiras é o chamado offshore, forma de outsourcing que busca fornecedores de serviços e de recursos estratégicos fora do país. A Apple, entre outras multinacionais, fabrica a maioria de seus produtos na China e em outros países asiáticos que oferecem ao mesmo tempo custos de produção menores e padrões de qualidade elevados.

Muitos call centers das maiores corporações norte-americanas estão localizados na Índia ou na América Latina. Embora não saibam, muitos clientes que se comunicam com American Express nas Américas estão falando com atendentes localizados fisicamente em Uberlândia, no Triângulo Mineiro.

Conferência –  Para as empresas e profissionais que têm interesse em aprofundar-se nesse tema, o Gartner estará promovendo nos dias 5 e 6 de junho, em São Paulo, a Conferência Outsourcing & Parcerias Estratégicas, com a participação de palestrantes brasileiros e internacionais, entre os quais David Ackerman, um dos maiores especialistas em outsourcing dos Estados Unidos.